segunda-feira, 31 de julho de 2017

Controle vs autonomia

Aquele princípio básico: você precisa das pessoas para viabilizar o trabalho, com alta produtividade e também acrescentando ideias criativas externas ao resultado, sem falar na descentralização do “poder”, lhe permitindo foco nas atividades estratégicas da organização. Conseguir este workflow passa por dar autonomia às pessoas.

Conceder liberdade aos membros da sua equipe não significa perder o controle sobre suas atividades, ao menos não é este o foco que devemos dar. O olhar do gestor deveria estar na difusão dos princípios, valores e  do propósito da organização, de modo que os indivíduos possam se sentir conectados – quando visualizamos um valor, um posicionamento ou um “ideia de vida” da empresa, que tem sinergia com o que acreditamos, passamos a vivenciá-la de outra maneira. O trabalho é levado a um próximo nível, onde entrega e satisfação por desempenho estão sempre presentes.

O gestor precisa abrir mão do controle integral, focar-se na tarefa de disseminar um referencial futuro da companhia, conseguindo assim maior otimização de seu tempo, emprego de suas habilidades no alvo correto – garantir resultados sustentáveis e pessoas realizadas, e consequentemente maior qualidade de vida.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Superação de crenças limitantes no processo de coaching

No processo de coaching, no desenvolvimento do profissional com o passar tempo, pode-se criar uma crença que é limitadora, uma “verdade” que se estabelece. 
Através do Método PSYCH-K, processo que agiliza o acesso ao subconsciente para transformar uma crença limitante em uma crença libertadora e positiva, o coachee conseguirá dar alguns passos para transformar esta certeza ruim em algo bom, que lhe apoie nos seus objetivos.
Você pode ser um coachee que tem dificuldades com gestão de pessoas, dizendo para si próprio “sou bom com processos, mas não levo jeito para lidar com indivíduos” (crença negativa). O método PSYCH-K irá trabalhar para que, com o tempo, você diga “eu tenho um relacionamento produtivo com a minha equipe de trabalho”, ou seja, as atividades que você irá realizar lhe ajudarão a acreditar nesta nova perspectiva, lidando com o obstáculo de outra maneira.
As crenças, muitas vezes, quando estão enraizadas, tornam-se obstáculos para evolução dos colaboradores, gerentes, etc., portanto transformar o cenário irá ajudá-los a atingir os resultados de uma forma muito mais efetiva.

sábado, 10 de setembro de 2016

Conflito de opiniões e preciosismo no trabalho: impactos em prazos e stress no time

Quase todos os projetos têm erros, têm discussões, têm ruídos na comunicação, enfim, coisas que geram ainda mais debates. Todo o projeto tem um nível de tensão, de stress, e isso é fato e está no script. Só falta você perceber que, em certos momentos, debater significa perder tempo, pois a hora é de abaixar a cabeça e fazer, sem estender aquela discussão.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Ideias vem do trabalho

Quando uma ideia surge rapidamente ou quando você consegue resolver um problema em 5 minutos, é porque já houve uma ação que desencadeou este processo mental, fazendo com que sua mente filtrasse coisas que fizessem sentido para a solução daquele tema. Não é obra do acaso, é trabalho, mesmo que presente e silencioso ou até mesmo fruto de um trajeto percorrido.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

12 questões de Jim Collins que os líderes deveriam responder

Num artigo da revista Exame, o guru de gestão Jim Collins, durante o evento HSM ExpoManagement, em São Paulo, afirma que um dos maiores desafios das empresas hoje é o da ausência da reflexão, o de fazer tudo no piloto automático, sem medo do negócio desaparecer. Trata-se de uma situação bem arriscada ainda mais em uma era marcada pela inovação e pela rapidez com que as mudanças de consumo acontecem.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

O golfinho, a carpa e o tubarão

Existem três tipos de animais: as carpas, os tubarões e os golfinhos. A carpa é dócil, passiva e mesmo quando agredida não se afasta nem revida. Ela não luta mesmo quando provocada. Considera-se uma vítima, conformada com seu destino.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Uma nova visão dos problemas



O ser humano é um bicho estático, que sempre busca entrar e permanecer na sua zona de conforto. Adoramos a comodidade, temos o ego inflado e muitos medos, por isso fechamos os olhos para os sinais que a vida nos emite e não exploramos outras formas de trabalho, aí vem a cegueira para oportunidades e para as ideias, que posteriormente são desenvolvidas com sucesso por nossos concorrentes.